terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Inaptidão.

O delegado Pedro Paulo Pontes Pinho, da 9ª Delegacia de Polícia (Catete) do Rio de Janeiro usou seu perfil pessoal identificado como “Polícia e Poesia” no Twitter nesta segunda (21) para criticar parte de sua equipe de funcionárias, dando a entender que, para ele, as mulheres não têm a mesma aptidão que os homens para o trabalho policial. O machismo saiu pela culatra e a chefe de polícia Martha Rocha depôs Pinho do cargo. Em seu lugar, coincidência ou não, entra a delegada Monique Vidal, lotada até então na 13ª DP (Copacabana).
 
Postado por Daniela Novais 11:36:00 22/01/2013

P.S. - E quanto mais o delegado tenta se retratar, mais fede.

 

122 comentários:

  1. Respeita a "Mulé" rapá!!!!
    Inadmissível situações como esta em nossos tempos!!!
    abração Novinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso que a chefe tratou de resolver logo a situação.

      : )

      Novidades?

      Excluir

  2. agora vai ser investigado por navegar nas redes sociais em horário de trabalho. bem feito pra deixar de ser bobo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim,ele tentou consertar a coisa depois, né? A chefe da polícia agiu rápido!

      Excluir
  3. Pensamento limitado, consequência ampla - "coincidência ou não".


    Obs.: Imagem perfeita. (risos)

    Spartanski

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Especialmente pra quem ocupa um cargo público como o dele, né?

      Excluir
  4. Oi, Novinha!

    Eu estava na padaria quando a notícia passou no telejornal, e a reação dos presentes foi de riso. A falta de respeito, ética, e de autocrítica deste "macho" foi tamanha que, aliada à consequência irônica, fez dele motivo de piada.

    Queria ver sua reação lendo a notícia. (:

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei que seria engraçado, não fosse a constatação de como é difícil acabar com um preconceito...

      Excluir
    2. Tô vendo! kkkkkk

      Só não esperava isso dos seus leitores.

      Tenso.

      Excluir
  5. Nossa, que blog feminista!

    ResponderExcluir
  6. É.. tenho algumas restrições também... acho que as academias poderiam ser um pouquinho mais pesadas para espetar o povo que não nasceu pra ser polícia, quer seja homem ou mulher...mas ao menos por aqui, mulherada não costuma encarar o que a machaiada encara não...infelizmente....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Marta Rocha encara... Vitão.
      Essa mulher "é mar macho que muito homem".

      Kkk

      Excluir
  7. Oi Recruta!!!

    Mas onde já civil... né?
    : )

    ResponderExcluir
  8. Somente gostaria de saber se ele falou alguma mentira? Mentira essa que ocorre em todas as polícias...

    Olhem-se no espelho e façam a seguinte pergunta: Na minha unidade a maioria das mulheres são linha de frente?
    Eu fiz. E resposta foi que poucas têm aptidão para serem policias...! O resto é número...

    ResponderExcluir
  9. É chefinha... Ainda levaremos muitos anos para extinguir o preconceito do Brasil. Até lá, esse tipo de notícia não vai me fazer esboçar reação, não por que não seja importante ou tenha cunho corretivo. Não me perturba por que o normal é ser diferente e tudo aquilo que não é normal é, mais cedo ou mais tarde, rejeitado e substituído.
    A meu ver, um homem que diminui a mulher, precisa fazê-lo para se sentir mais viril. O que obviamente demonstra que este possui dificuldades para se sentir assim, portanto, nem me amola. A ofensa pertence ofensor, não a mim.

    Bjão!

    ResponderExcluir
  10. Poderia não escrever pra também não ser julgado.
    Mas, me solidarizo com o delegado, nestes 10 anos de polícia e em duas instituições diferentes vi exatamente o que ele falou.
    Faltou só frisar que era na atividade fim, pois, na polícia tem lugar pra todo mundo, mas a atividade fim, aquela que consta na ementa dos cargos, é para poucos (homens e mulheres).

    Guarda 2013!

    ResponderExcluir
  11. Anônimo das 00:14,

    Obrigada pelo comentário sincero. Sei que muita gente pensa como você mas não tem coragem de se assumir.

    Bem, primeiro teremos que definir "linha de frente". Porque dependendo do que você chamar de linha de frente talvez o próprio delegado em tela ficaria de fora...
    ; )

    Um beijo!


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem?
      Linha de frente na papa maike seria as escalas noturnas, o policiamento ostensivo na área da P 15, P 24, por exemplo.
      Na papa charlie, linha de frente seria as campanas em lugares hostis, plantões, ter que atuar em duas DPs...

      Pq é tão dificil reconhecer que as nossas polícias estão cheias de patricinhas que têm "nojinho" de serem POLÍCIA? No Delta Fox é o que há...

      Excluir
  12. Seu Guarda,

    Você já é da "diretoria"... pelo menos de minha parte, não se preocupe com julgamentos. Fico feliz que você tenha liberdade pra expressar sua opinião.

    Achei muito válido o fato de você começar por delimitar a àrea de atuação a que o delegado quis se referir.

    Mas mesmo assim, ainda corremos o risco de ser levianos a ponto de expressar uma cifra de mulheres aptas e não aptas para o serviço policial.

    Por exemplo, a atividade de ensino (academia de polícia) não seria considerada atividade fim, mas atividade meio, já que prepara o policial para a atividade fim. Quer dizer que os professores estão lá porque não têm aptidão para a atividade fim? Eu acho que não.

    Beijo, seu Guarda!
    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai parecer que to ponderando tudo que fala rs rs não quis dizer isso, pois estava falando de atividade fim. Mas, já que tocou em academia, sem me alongar muito e fazendo o que vc fez rs rs: não concebo ter aula de vigilância de um policial que nunca perdeu uma noite no relento; não aceito ser instruido sobre policiamento de estádio por um policial que nunca tirou um "pé firme": não aceito ter aula de preservação de local de crime de um policial que nunca viu o desespero da família ao ver seu ente morto no chão; não aceito ter aula sobre levantamento de local de acidente de um policial que nunca atendeu uma colisão frontal.... assim, quem da aula em academia deve ter passado pela atividade fim (seja homom ou mulher) hehehehe infelizmente tem gente que entra na policia e vai direto pro ar condicionado. heheheheh viva ao delegado 4P

      Excluir
  13. Respostas
    1. Amiga linda, é isso o que eu chamo de dar um tiro no pé!

      Essa Martha é de Rocha mesmo, né?

      Beijo, amiga linda!!!!

      Excluir
  14. "Faltou só frisar que era na atividade fim"

    Detalhe essencial, Guarda.



    "(...) é para poucos (homens e mulheres)."¹


    Obs.:¹ #Fato. E, entre parênteses, ótima observação.
    No contexto "aptidão/inaptidão", hoje, definição de gênero chega a ser irrelevante - muitas vezes.

    Spartanski

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ratifico:

      E, entre parênteses "(homens e mulheres)", ótima observação.

      Spartanski

      Excluir
  15. "Eu to aqui festando e você na pior, ai que dó, ai que dó
    Ai que dó o que, eu quero ver você sofrer!
    E de nada vai adiantar, dizer que se arrependeu"

    GRITEI bem alto quando assisti a matéria: Toma trouxa, otario aaaaahahahahahaha Vai Martinha poe ele no cantinho aaaaaaaaaahahhahahaha
    Gente escorri até a ultima gota do meu veneno em cima desse caso, sério, não tive papas na língua sobre esse sujeito-quem mesmo? ah é ex-delegado ahhhhhhhhhhahahahahaha

    ResponderExcluir
  16. Temos que rever nosso conceitos.
    Seu fosse delegado adoraria ter varias mulheres em minha unidade, pois tenho certeza que seu Caráter Indiscutível.
    Como já falei em outros comentários estatisticamente a mulher e mais honesta que o homem.
    Saudades linda!!!

    ResponderExcluir
  17. Oi Isis!!!

    Isso aí é uma música?!
    : )

    kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  18. Spartanski,

    Qual é a "atividade fim" da PRF?
    : )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Senti um sarcasmo (desnecessário) no seu questionamento, o que para mim, mais uma vez, ratifica qual a sua polícia hehehehehe sem ressentimentos.

      Mas, sobre a atividade fim da PRF, você tem razão e ser irônica
      afinal somos uma policia muito nova em busca de identidade consolidada, e na minha opinião o que melhor descreve é : "combater os crimes nas rodovias e estradas federais do Brasil, assim como monitorar e fiscalizar o tráfego de veículos, embora também tenha passado a exercer trabalhos que extrapolam sua competência original, como a atuação dentro das cidades e matas brasileiras em conjunto com outros órgãos de segurança pública."

      Nestas ações é onde esperamos ver os homens e mulheres da PRF.

      Beijos

      Excluir
  19. E se você fosse delegado, Sampaio, eu seria candidata a trabalhar na sua equipe de agentes ultra, mega, thunder, master, over... operacionais.

    kkkkkkkkkkkkk

    (Dra. Marta Rocha!!! Me requisita pra trabalhar na sua equipe!!!!!)

    : D

    ResponderExcluir
  20. Mas deixa isso pra lá...

    Vou me preparar para dormir.

    Um beijo, maninha.
    Obrigada pela companhia.

    ResponderExcluir
  21. É sim Guerreira, mas coloquei ó as frases que deixam o meus sentimento ao EX-delegado.

    ResponderExcluir
  22. Resp.: Fiscalização e policiamento das rodovias.¹

    Obs.:¹ não entendi a pergunta! :)


    Um complemento pertinente:

    A minha visão (que justifica a minha concordância)¹ sobre "atividade-fim" foi extremista. Observei/enfatizei "atividade-fim" sob uma esfera além, quero dizer, puramente operacional - grupos especiais, por exemplo.²

    Obs.:¹ "faltou só frisar que era na atividade fim".

    Obs.:² que é, efetivamente, para poucos (homens e mulheres).

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, amiguinha... Vc disse nas rodovias, né???

      Logo, vc há e convir comigo que formar uma equipe de policiais batedoras para escoltar a Presidente da República não é, nem nunca foi uma "atividade fim" da PRF. No entanto, as PRF's que trabalharam na posse deram um show de profissionalismo, perícia, capacidade operacional... ou seja, embora elas não estivessem trabalhando na atividade fim da PRF, nem eu nem ninguém questiona, por isso só, que elas não tenham aptidão para o "trabalho policial". Da mesma forma que ninguém questiona a "aptidão para o trabalho policial" dos professores da academia... (Que nainha opinião, é atividade meio) Logo o fato de trabalhar na área fim não identifica quem tem ou não tem aptidão para o trabalho policial... Concordas comigo???

      Beijo, maninha!

      Excluir
    2. Vc se lembra da posse? Em Brasília... Da escolta das PRFs (todas mulheres...)

      : )

      Excluir
    3. Concordo, completamente.

      A minha linha de pensamento em nenhum momento vai contra isso, por esse motivo não tinha entendido a pergunta.

      Apenas quis afirmar, que "se"¹ for pra levar em consideração o termo aptidão/inaptidão, isso é indiferente, se [homem ou mulher].


      Obs.:¹ [Se], porque não concordo com essa "classificação".

      O referido delegado direcionou "restrições" apenas à figura feminina, o que fez configurar uma atitude equivocada e descabida. E o restante do efetivo?
      O meu friso não questiona aptidão/inaptidão em si, mas, apenas, isonomia de gênero.

      :)

      Spartanski

      Excluir
    4. PF,PRF - lembro, com certeza.

      :)


      Spartanski

      Excluir
    5. Notei:

      "Faltou só frisar que era na atividade fim"
      Detalhe essencial, Guarda.


      Esse trecho, em especial, conturbou minha ideia principal. Pensei em algo completamente diferente - no contexto, a resposta faria sentido. Releve, linda. Erro meu.

      ;)

      Spartanski

      Excluir
  23. Obs.: Num contexto restrito, é possível analisar algumas características "favoráveis/não favoráveis" mas, ainda assim, há de se reconhecer que é inapropriado "tabular" determinantes fixas e parâmetros imutáveis de "aptidão".

    Subestimar é sempre um risco.

    Spartanski

    ResponderExcluir
  24. ''Perdoa Senhor, ele não sabe o que fala!'' Fiquei triste com isso, mas infelizmente ainda existe muito preconceito. Temos q dá nosso melhor sempre e tapar a boca de tipos como esse!

    ResponderExcluir
  25. ''Tem gente q não relincha com medo de cangalha.'' Como diz a minha mãe, mas esse não teve medo, cabra mais abestalhado!
    :p

    ResponderExcluir
  26. Bom dia Seu Guarda!

    Olha, do texto lido, foi dito que o delegado deu a entender que as mulheres de sua equipe "não têm a mesma aptidão que os homens para o trabalho policial".

    Você disse: "Faltou só frisar que era na atividade fim, pois,(sic) na polícia tem lugar pra todo mundo, mas a atividade fim, aquela que consta na ementa dos cargos, é para poucos (homens e mulheres)".

    Logo, eu entendi que pra você "aptidão para atividade policial" no sentido que o delegado quis dizer, é a aptidão para a área fim. Logo (raciocínio puramente lógico) se um policial não trabalha na área fim ele não tem aptidão para o "trabalho policial".

    Eu não acho que trabalhar na "area fim" da polícia seja para poucos. Tem muita coisa simples na área fim que não exige muita perícia e que qualquer policial faz.

    Citei o exemplo dos professores da academia, porque sei que você dá aulas em cursos de formação, certo? Dar aulas não é atividade fim, concorda comigo? No entando, em toda academia de polícia séria, esses policiais são selecionados a dedo. Ou seja, dar aulas não é atividade fim, mas é uma atividade para poucos.

    Concluindo: trabalhar na área fim não quer dizer que o policial tenha aptidão para o trabalho policial. Nem é um requisito que comprova essa aptidaõ.

    ; )


    ResponderExcluir
  27. DoceAcida!!!

    Como disse a Mari lá em cima, eu também nem me abalo.
    : )

    A chefe dele é mulher e ele foi substituído por outra mulher. Os fatos falam por si só.
    : )
    kkkkkkk

    Um beijo, minha flor!

    Estou aqui na torcida!!!
    Vai pra cima deles!!!!
    : )

    (Boa prova!)
    Beijo, querida!

    ResponderExcluir
  28. Spartanski,

    Erro onde?
    : )

    Entendi o que você quis ressaltar com relação a atividades que "são para poucos", inclusive a sua ênfase na questão de igualar o gênero. Perfeito. Mesmo que sua opinião fosse contrária à minha, ficaria feliz por poder trocar ideias com você. É assim que a gente aprende, cresce, se desenvolve, evolui.
    : )

    Um beijo, maninha!


    ResponderExcluir
  29. (...) trabalhar na área fim não quer dizer que o policial tenha aptidão para o trabalho policial"

    Não mesmo.¹


    Obs.:¹ e isso não é uma concordância apaziguadora.

    "Para poucos".: Essa reserva nem sempre se define com termo "inaptidão". Há outros fatores envolvidos.² Obs.:² O erro foi não ter deixado esse detalhe claro.


    No mais, que bom que entendeu. Bjs, linda!

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  30. Paloma,

    Einstein já dizia:

    "Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito".

    Não mudou muita coisa, né?
    ; )

    ResponderExcluir
  31. Resposta do In Off de hoje:

    Primeiro sobre o seu comentário a respeito da resposta onde eu disse:

    "Porque dependendo do que você chamar de linha de frente talvez o próprio delegado em tela ficaria de fora... ; )"

    Pois é... é difícil dizer, na polícia, hoje, o que é ser da linha de frente. Vai depender de que direção vem o ataque, né? kkkk

    O importante é saber usar a arma certa na hora certa... mas, infelizmente, tem gente na polícia que tem saudade da "Era Rambo", sabe, muito músculo e pouco cérebro. Gente, o Rambo nem policial era!

    Tem que ter paciência.
    : )



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! "Saber usar a arma na hora certa". Mas pra isso é preciso portá-la... Conheço variAs canas que só usam por enfeite - quando em estão de serviço, isto é, calçadas com salto alto... Enfeite, no caso, quer dizer sem munição na câmara rsrsrs...
      Na folga a arma fica em casa.
      E haja paciência mesmo!

      Excluir
  32. Resposta do In Off 2:

    Sobre o que você disse a respeito dos "vocacionados":

    É uma coisa a se pensar, mesmo... porque quando a gente chega na polícia, se depara com uma realidade que não é aquela que passaram pra gente lá fora. Daí... inevitavelmente, vêm as frustrações...

    Eu te disse isso uma vez e acho que você não gostou muito (rs rs rs): você tem que achar, dentro da polícia, a sua área. No começo vai ser mais complicado, porque você não vai ter muita ou nenhuma escolha. Mas com o tempo você vai ter que procurar descobrir as suas habilidade e onde isso poderá ser melhor aproveitado. Agora, tenho certeza de que você vai "se encontrar" aqui dentro, como eu me encontrei. Você é inteligente o bastante pra saber se posicionar.
    ; )

    Ah, fico feliz por, embora, indireta ou não propositadamente, ter ajudado você de alguma forma a atentar para isso.
    : )

    Disponha!

    ResponderExcluir
  33. Será?
    Não sei...
    Eu só sei que quando eu disse isso, você respondeu algo como "não é a polícia que tem que se adaptar a mim, e sim, eu é que preciso me adaptar à polícia..."

    Lembra?
    : )

    É porque o pessoal de fora não tem noção de tantas possibilidades que existem aqui dentro! Repito: no início não é assim, mas com o tempo... entendeu?

    Vou falar de novo! kkkk
    Aqui dentro tem lugar pra quem é do tipo "pé na porta", pra quem é nerd, pra quem é meticuloso, pra quem é curioso, pra quem é da night... kkkk

    Chega... já falei demais...
    : )

    Por exemplo... você tem muito perfil pra trabalhar aqui onde estou!
    Anota isso aí no seu caderninho de anotações. Depois me conta!


    ResponderExcluir
  34. É... mas calma aí... não é assim tão simples, né???

    Vai depender muito do local onde você foi lotado(a) pela primeira vez... Eu jurei que o local onde escolhi pra ficar no ínício seria onde eu teria as melhores chances de fazer um bom trabalho... mas quebrei a cara.

    http://mulhernapolicia.blogspot.com.br/2012/03/nem-doeu.html

    Depois pra sair de lá...

    Mas tem gente lá que tá feliz da vida... viu como é subjetivo?

    Então, não é tão simples como pareceu nas minhas palavras do comentário anterior. Especialmente quando a pessoa não sabe o que realmente quer. Era o meu caso...

    ResponderExcluir
  35. Entendi.

    kkkkkk

    Cara... eu nem acredito que vou te contar isso, mas foi E-XA-TA-MEN-TE isso que aconteceu comigo (kkkkkkkkkkk). Por isso que eu quebrei a cara.

    Não conta isso nem para a sua mãe, hein!

    ResponderExcluir
  36. Não... Mas quanto a isso fique tranquilo(a).

    Eu fui, porque escolhi ir. Até o presente momento, ninguém nunca me "obrigou" a fazer nada aqui dentro que eu não quisesse fazer...

    Outra coisa, não consegui lembrar nenhuma área aqui dentro que traga alguma afinidade com esse detalhe do seu currículo... alguém já te falou algo nesse sentido? Fiquei até curiosa.

    ResponderExcluir
  37. Futura Delta_

    Figurinha perfeita!!! rs...

    Fato - ofensivo.

    Consequência - não podia ser outra!!!

    Bjs Novinha!!!

    ResponderExcluir
  38. Olá Futura Delta!

    E pior que essas histórias de gafes homéricas, nunca mais se apagam...
    kkkk
    : D

    ResponderExcluir
  39. Bom Dia, Novinha...

    Que n se apagem mesmo!!! rsrs...

    Como é q pode uma pessoa formada, q frequentou uma academia de polícia... me sair c um comentário desses !!! INACEITÁVEL !!!

    Obs. Concordo com o comentário q diz q na polícia tem lugar p vários tipos de pessoas - desde q usem a cabeça com inteligência !!! rs...

    Bjs.

    Futura Delta_

    ResponderExcluir
  40. Oi Futura Delta,

    Pois é, me refiro ao fato de ele ainda ter tentado se retratar... Disse que não teve intenção, tal...

    Sabia que agora já apareceu um outro "bafafá" a respeito de uma suposta agressão que ele teria feito a uma colega policial? "Lesão corporal" leve... Fica mais difícil ainda acreditar que ele também "não teve intenção".

    Mas a imprensa também é fogo, né?

    O que o Guarda quis dizer com "lugar para vários tipos de pessoas" não é referente a esse tipo retrógrado e desajustado do tal delegado, mas aos diferentes tipos de atividade que são desenvolvidas na polícia. É como eu disse naquela resposta a um comentário anônimo das 16:08

    "Aqui dentro tem lugar pra quem é do tipo "pé na porta", pra quem é nerd, pra quem é meticuloso, pra quem é curioso, pra quem é da night... kkkk"

    E lá... no seu caso, prevalece um perfil tido como mais ajustado às atividades que vocês desempenham?
    : )

    Um beijo, florzinha!
    Obrigada por sua participação aqui!!!

    ResponderExcluir
  41. Bom Dia, Novinha....

    Assim q chegar em casa te respondo c mais tempo...entregando o plantão agora, depois de 2 dias seguidos...

    Futura Delta_

    ResponderExcluir
  42. Acho que a opinião do delegado foi coerente ao fazer análise de sua equipe de trabalho, afinal de contas ele não generalizou. O que não acho correto é postar isso em redes social.
    Outra coisa, não vejo a exoneração dele como uma penalidade e sim como um beneficio para o mesmo, haja vista que não estava satisfeito com aquela equipe de trabalho.
    Parabéns delegado pela coragem de dizer algumas verdades!

    ResponderExcluir
  43. Oi Luiz!

    Sumido!
    : )

    Também achei muito "delicado" e pouco másculo um homem daquela idade e posição ficar de "mimimi" no Twiter, postando um atestado de incompetência/impotência em não conseguir gerir bem uma equipe policial.

    Mas não tenho essa "coragem" de emitir um juízo de valor sobre a equipe que ele demonstra tanta inaptidão para chefiar sem ouvi-la. No twiter só aparece a opinião dele, né?

    Só pra ilustrar, já vi times muitos bons que, por amor ao serviço mesmo, dão o famoso "gelo" em muito delegado babaca, do tipo inapto a trabalhar em equipe. Acontece às vezes dos policias deixarem o delegado "se lascar" sozinho, a "produção" na delegacia cai e então o indivíduo resolve entrar no time (ou pede pra sair). Se essa era a intenção da equipe, se mostraram bastante eficientes.

    E concordo com você mais uma vez, Luiz! Com certeza foi um benefício para ele. Esse delegado precisa de um gabinete bem amplo pra caber sozinho o ego enoooooome dele.
    : )

    Valeu, Luiz!
    Beijo pra ti.

    ResponderExcluir
  44. Oi Futura Delta!

    Hummm, cansada, né amiga... como se tivesse sido atropelada após cair de um caminhão de mudanças???

    Sei como é...
    : )

    Bom descanso.
    Beijinho!

    ResponderExcluir
  45. Como dizem por aí: Chupa, delégas!

    ResponderExcluir
  46. Novinha... Tudo bem com você? Olha só esse cara, comeu a banana, jogou a casca no chão e escorregou a ponto de cair. Sem comentário a respeito desse "doutor". Beijo

    ResponderExcluir
  47. Oi Silvinha!!

    Não seria Tele-gás???
    kkkkkkkk

    Então, juro que passou pela minha cabeça colocar mais ou menos isso aí no título da matéria.
    : )

    Mas não.

    Um beijo lindona, obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk tele-gás é boa tbem, mas estava me referindo a expressão do irmão de um amigo que é delegado PF e que por despeito só chama o irmão de delégas. kkkkkkk
      Adoro seu blog.
      Bjs

      Excluir
  48. Oi Tipão...

    Belíssima e muito apropriada a analogia do(a) banana.

    Sem novidades, pra mim. A Constituição Federal diz que é livre a manifestação do pensamento, mas é assegurado o direito de resposta, proporcional ao agravo.

    Em outras palavrinhas, Dra. Martha não deixou barato...

    kkkkkkk

    Obrigada, Tipão!

    (Estava com saudades!)

    ResponderExcluir
  49. Oi Sampaio!

    Eu que agradeço a preferência.
    : )

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  50. Boa Tarde, Novinha!!!
    Minha atividade é classificada como uma das mais estressantes profissões do mundo... Creio que tenha lugar p algumas pessoas, que além de possuir as características técnicas exigidas pelo cargo, devem usar em larga escala, a inteligência, ser muito equilibrada emocionalmente e muito humana - no sentido de ver o preso (a) como PESSOA antes de tudo; entender que se está diante de um semelhante seu, independentemente do crime q tenha cometido, da repercussão que tenha causado, da ‘repugnância’ q vc sente ao saber detalhes do crime!!! Não é um trabalho fácil!!!
    A presença da mulher é fundamental, tanto quanto é a do homem. Não há como fluir se os dois n tiverem presentes. Um trabalho literalmente depende do outro.

    Aquela velha figura/caricatura já não transmite mais a realidade.
    Graças a DEUS, tive a imensa sorte de entrar com o sistema um pouco mais organizado e de ser lotada em um local no qual a equipe é muito boa. Cerca de 90% tem curso superior, alguns c especialização na área. Pra vc ter noção das 08 mulheres que trabalham na unidade, 05 são formadas em direito, 04 pela mesma Universidade Federal...
    Entretanto, como em toda repartição pública, tem os “malas”, que caem de paraquedas no sistema, q se acham espertos demais, e simplesmente se escondem para não trabalhar... Tem ainda aqueles que simplesmente não tem a menor condição de esta ali por total falta de operacionalidade.
    Outro dia, qnd repassei uma determinação da direção teve um q me falou: “Já trabalhei demais na minha vida, e agora quero só paz, sombra e água fresca!” (O detalhe: ele já tinha sido servidor público antes de assumir o atual cargo).
    EU NÃO AGUENTEI, rs, e respondi: -Então, literalmente, vc está no lugar errado ou não sabe aonde está!!! rs...

    Ontem n resisti... dormiiiiiiiiI.... o dia todooooo..... Estava cansada demais!!!

    Bjus.

    Futura Delta_

    ResponderExcluir
  51. Saudades é algo que sempre vai acompanhar o ser humano... Eu também estava com saudades de você. Bom demais também reencontrar o "pessoal da net" por aqui por outros sites. É sempre bom recarregar as idéias, os ideais, os sonhos... Eu que agradeço, Novinha!

    ResponderExcluir
  52. "Também achei muito "delicado" e pouco másculo um homem daquela idade e posição ficar de "mimimi" no Twiter (...)"

    Status: No que tange a roupagem machista, isso é, no mínimo, cômico demais. :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  53. Spartanski,

    ; )

    Depois dizem que fofoca é coisa de mulher...

    Haja paciência!!!
    : )


    ResponderExcluir
  54. Olá querida,

    Gostei demais de saber um pouco mais sobre você. Obrigada por dividir um pouco da sua realidade pra gente aprender um pouquinho mais.

    Uma coisa que me chamou a atenção no seu relato foi o fato de o serviço público ser "serviço público" em qualquer Estado da Federação... Impressionada com as semelhanças!

    Uma pergunta: vocês trabalham na ala masculina também?

    : )





    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom Dia, Novinha...

      Da forma como os procedimentos ainda são feitos nos Estados da nossa Federação...
      Sim, é necessário a presença de homens e mulheres em todas as unidades, como disse anteriormente um trabalho depende do outro, não há com trabalhar só mulheres ou só homens .

      Futura Delta_

      ; )

      Excluir
  55. Oi Dr. Tipão,

    Acabou aquela guerra do doutorado?
    : )

    Voltou pra casa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aquela guerra do doutorado ainda está de pé Novinha. Quero ver se ganho mais uma batalha agora na sexta-feira dia 1º de fevereiro, amanhã... É defesa de qualificação (pré-requisito para depósito de tese) para a obtenção do título de Doutor em Química. Fui ao Maranhão rever a família e alguns amigos - deu pra recarregar as baterias um pouco por lá, mas ainda não retornei em definitivo.

      Excluir
  56. Tá rindo, né???

    Vai vendo aí onde é que você quer "entrar"... Ninguém que lê esse blog poderá dizer que não sabia...

    : )

    Mas fica tranquila, estamos trabalhando pra melhorar o caminho pra vocês que chegarão em breve.
    : )

    ResponderExcluir
  57. Desafiador. Verdadeiramente desafiador.

    Spartanski

    ResponderExcluir
  58. Bom dia, Spartanski,

    É um trabalho de formiguinha e quando alguém tropeça, parece que derruba tudo o que vem sendo contruído... e as inocentes pagam pelas pecadoras.

    Mesmo assim, vale muito a pena.
    ; )

    Beijão procê!

    ResponderExcluir
  59. Resposta do In Off...

    Pra quem gostou do sarcasmo: uma hora alguém tem que raciocinar! Né possível!!!

    Pensar às vezes dói, a quebra de paradigmas deixa os menos maleáveis atordoados. Por isso a gente tenta ir devagarinho.

    kkkkkkk

    É trocando ideias e se respeitando mutuamente que a gente chega lá!
    : )

    Um beijinho!

    ResponderExcluir
  60. Esse aí deve pensar que mulher ainda serve pra lavar as cuecas dele na mão ¬¬
    prontofalei!!!

    De volta aos estudos ...
    Pra um dia fazer melhor do que ele faz e com SALTO e unhas pintadas!!!

    ResponderExcluir
  61. nao sei se voce ja respondeu ou disse essa pergunta mas que de que polica voce é(militar,civil,federal?)

    ResponderExcluir
  62. Oi Adrien!

    Prazer ter você com a gente aqui!
    : )

    A minha puliça é segredo, é sagrado está sacramentada em meu coração.

    : D

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. td bem e vc tem alguma dica para eu conseguir passar na academia?

      Excluir
  63. Anônima!

    : )

    Liga não... ele já teve o que merecia.

    Foco nos estudos!

    Obrigada!

    ResponderExcluir
  64. Diga Novinha, tudo certo?
    Tava aqui escutando uma música e lembrei de você, pois o nome da canção é "vai novinha" .. kkk .. não tinha como não lembrar, né?
    abraços e espero que estejas excepcionalmente bem!!!

    ResponderExcluir
  65. Haha concordo Jordão Vieira, sempre q escuto lembro dela!!! Novinha passei na prova prática de digitação, mas foi tensa... merma, eu tremia mais q vara verde, fiquei mto nervosa... graças a Deus deu certo! Agora dia 20 tem o ''famigerado'' TAF, tá reprovando muitooooo... no certame da PM 60% dos candidatos reprovaram e no de auxiliar de perícia mta gente perdeu tbém.. parei de estudar esses dias e estou muito focada no TAF, mas estou com muito medo, insegura... sempre fui sedentária e agora tenho dificuldades na execução dos exercícios. Q seja feita a vontade do Pai, não é? Espero logo voltar com uma boa notícia, mil bjinhos e obgda pela torcida!! :*

    ResponderExcluir
  66. oi Adrien!!!

    Talvez eu tenha!
    Em qual academia você quer passar???

    Que bom que você voltou!

    : )

    ResponderExcluir
  67. Jordãooo...

    "Vai Novinha"???

    Isso é o quê? Funk???

    Medo.
    : )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk... quase isso! É pagode mesmo .. kkk

      Excluir
  68. Oi DoceAcida!!!

    Sério?! Parabéns por mais essa vitória!
    : D

    Só toma cuidado nos treinos pra não se machucar. Vai na boa! Se der deu, se não der já deu também, né? Experiência também é uma conquista!
    : )

    Força, mullher!
    Vai pra cima deles!!!
    (Depois a gente conversa sobre essa história de "Vai Novinha", tá???

    Humpf!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que estou nessa mesma turma da doceacida, hauhauahau..não sabia q ela lia o teu blog..e eu vejo ela no forum CW, tbm to treinando...mas ta dificil, machuquei minha coxa e meu abdomen..to pensando em tomar uma injeção de voltaren na bunda, mas tbm to com medo de me prejudicar.... : (

      Excluir
  69. Tipão!!!

    E aí como foi lá na sexta-feira?
    : )

    Conta aí, doutor.
    :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Novinha...

      Sexta-feira foi tensa Novinha.

      Passei por mais essa batalha.

      Mostrei alguns dos resultados na apresentação, os mesmo que eu havia colocado no texto da qualificação. Não enrolei na hora de apresentar, fui objetivo, mas pequei no tempo - apresentei apenas em 15 minutos tudo (Idealmente seria em 30 minutos, mas confesso que eu não estava preocupado com o tempo, embora ele seja importante). Avaliaram negativamente o fato de eu não ter feito comparações dos meus resultados com os da literatura: artigos científicos da área. No caso, eu os apresentei apenas de uma forma descritiva e não os discuti no texto. Isso eu já sabia que ia acontecer porque eu resumi muito o texto por conta da limitação do número de páginas, 50, e eu havia escrito 60. Na tese vai o que der (sem limite de páginas). Resumidamente, fizeram muitas sugestões e perguntaram como está a parte de finalização para escrita e defesa da tese, se falta algum experimento ainda para fazer, etc. Os professores se ofereceram para ajudar, discutir resultados, ou seja, estão disponíveis para ajudar e engrandecer o trabalho. São gente boa demais. Tenho que explorar os catalisadores em mais duas outras técnicas e penso que vai dá tempo de defender até o mês de junho, ou antes.

      É isso Novinha, estou na luta ainda.

      Qualquer coisa estamos por aqui.

      Beijo.

      :-)

      Excluir
  70. Se puder adicionar esse blog aqui, eu recomendo...
    http://www.casernapapamike.com.br/
    Abração!

    ResponderExcluir
  71. O mundo demora para mudar..., esse delega é a prova disso.
    como disse Spartanski: o que é que esse senhor tá fazendo no twiter?
    Estamos no sec XXI, o cara é um delegado que,primordialmente, tem que defender as bases da nossa sociedade, e tem uma chefa acima dele...
    Foi burrão e preconceituoso. Dançou.

    ResponderExcluir
  72. Oi Tipão,

    Nossa, que bom que o ambiente acadêmico do qual você faz parte é assim. Professores oferecendo ajuda... Fiquei realmente impressionada.

    Espero que você tenha todas as condições para fazer um bom trabalho e que em breve você possa colher os frutos do seu esforço e dedicação.

    E te agradeço por me deixar, de alguma forma, participar dessa sua guerra... Eu vou ficar bastante orgulhosa quando você chegar lá.
    : )

    Um beijo, Tipão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Novinha.

      Não sei se é o meu jeito de ser ou tratar as pessoas, mas todo professor que pedi ajuda - seja num breve momento ao cruzá-lo pelas escadas ou corredor ou em sua sala ou diretamente no laboratório do grupo do mesmo, etc. - sempre obtive ajuda (Embora meu questionamento fosse trivial ou óbvio). Dúvida todos nós temos e buscar respostas não é fácil - você deve saber disso. Agora, você deve saber também que nem tudo são flores, vamos dizer assim. Para você ter uma ideia, aqui há rixas antigas de determinados grupos onde os componentes dos mesmos não podiam ter contato com os componentes do outro - no caso, rixas provenientes de professores com outros. Vou contar uma aqui brevemente: Estava eu no laboratório de um desses professores tirando uma dúvida com um outro aluno que estava cursando disciplina comigo e o professor dele estava lá no momento. O mesmo me olhou de canto de olho. Confesso que não gosto disso e fui em direção a ele. Eu me identifiquei, perguntei a ele se estava tudo bem e perguntei também se eu estava perturbando. O mesmo me perguntou "Você é aluno de quem?" e respondi o nome do meu orientador. Prontamente ele disse: "Aluno dele pode". Sorri sem saber o motivo da resposta dele, ele também sorriu, mas na época eu não sabia das rixas (Eu estava lá de paquito) - isso foi em 2006. Ainda hoje existe isso, mas não ligo pra isso e converso com todos numa boa, embora o nome do meu orientador seja "pesado" - respeitosamente dizendo, rsrs. Creio que isso, adicionado ao meu jeito de ser, fazem com que as coisas aconteçam de uma forma natural pra mim por aqui.

      Pós-Graduação é uma mistura muito louca. Confesso ainda que minha maior dificuldade foi e é conviver com cobras que existem no próprio grupo a que pertenço - são minoria, mas incomodam apenas por estarem presentes (Penso que em todo canto tem isso, por ai tem Novinha?). Condições para o desenvolvimento do projeto temos, mas o problema é quando o projeto não dá respostas assim de imediato ou como o esperado. Contudo, creio que vai dá sim para defender essa tese com os resultados que tenho.

      Novinha, na guerra a ajuda é bem vinda se a mesma for de boa fé. Aqui, assim como em outros sites, eu encontro isso. Fico feliz em saber que encontrei pela internet pessoas especiais. Aqui também é um ponto de encontro de alguns que tive o privilégio de conhecer, não pessoalmente ainda, mas isso é só questão de tempo.

      Quando eu terminar isso aqui, tenho que me garanti num concurso. Essa é outra guerra em paralelo.

      ;-)

      Beijo.

      Excluir
  73. Papa Mike Delta Fox!

    Excelente blog!
    Obrigada pela indicação!

    Tá adicionado na categoria "Antigões".
    : )

    Beijo!

    ResponderExcluir
  74. Bom dia, Tipão!

    Foi bom ter ouvido o seu relato porque a semelhança no ambiente é muito grande. Às vezes eu nem quero falar muito pra não parecer que sou muito complicada nos meus relacionamentos pessoais. Ler o que você escreveu sobre isso me dá até um pouco de alívio de pensar que todo mundo passa pelas mesmas coisas (parece).

    Também me identifiquei quando você falou da afeição natural que seus professores têm por ti. Com algumas exceções percebo o mesmo com as pessoas que têm alguma "autoridade" sobre mim, mas no meu caso, sei explicar exatamente o porquê disso. Eles percebem minha "necessidade de aprovação". É uma longa história que tem origens familiares...

    Quanto ao "rala"... a maioria das pessoas dizem que você vai sentir falta disso.
    : )

    Você acha que o serviço público é uma boa opção pra você? É que com um título de doutorado em química debaixo do braço imagino que você terá boas empresas te disputando, não?
    : )

    Me explica melhor quais são seus planos, após se formar.
    : )

    Um beijo!




    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Novinha!

      Falando em trabalho, serviço, etc. Tive meus traumas no período em que estava cursando a faculdade - isso na minha graduação. Um deles foi ter que trabalhar (lecionar) em escolas particulares do ensino médio e receber muito pouco ou até mesmo nem sequer receber em outras por calote mesmo. Diante disso e do fato de não ter trabalhado em qualquer tipo de serviço público, penso que essa seja uma boa opção.

      Já com relação à empresas, elas querem alguém com qualificação específica na área de interesse deles, seja ela qual for - preferencialmente bacharéis e sem mestrado ou doutorado. Isso é o que eu vejo, posso estar enganado...

      O meu ramo é da licenciatura, restando assim faculdades estaduais ou federais ou particulares para licenciar (diante do trauma eu prefiro as públicas) ou perícia no ramo policial - isso falando de se aproveitar os conhecimentos de química. Na civil de São Paulo por exemplo não aceitaram licenciados para o concurso de perito, já outros estados aceitam.

      Quanto as planos, terminando aqui eu vou fazer alguns concursos, se bem que já fiz alguns, mas passei numa colocação fora da faixa para poder ser chamado. Tenho que me dedicar para passar e particularmente o doutorado não me ajuda nesse aspecto a não ser pela titulação.

      Basicamente é isso doutora.

      Excluir
  75. Entendi!

    Você tá interessado mais no aspecto de segurança do serviço público.
    : )

    Conheci um perito da área de Biológicas, vou te falar, ele tinha no máximo uns 23 anos! Com um salário e função de dar inveja em qualquer um... E muito tranquilo... Tava indo acampar.
    rs rs rs

    O trabalho deles é super light, fazem muitos cursos dentro e fora do país, é a elite intelectual da polícia... sem dúvida. E outra... ninguém mexe com eles nem os delegados mais chatinhos. rs rs rs
    : )

    Mas é preciso estudar muuuuuiiiito pra conseguir uma vaga dessas. E a área de química tem sempre um número bonzinho de vagas.
    : )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Novinha..., você está já passou pela fase do concurso e tenho certeza que o interesse vai muito além do aspecto de segurança que o serviço público pode proporcionar. Isso está dentro da escala do sonho realizado...

      Fico feliz por você e feliz também por conhecer pessoas antes mesmo de sua aprovação (fiquei sabendo um pouco da história sofrida) e que finalmente já passarem pela fase de aprovação e que mesmo já estando do lado de lá, não esqueceram os que lutam para passar também. Saber que alguém já chegou lá e desfruta disso é motivador, mais ainda quando vem a palavra de motivação. O fato de poucos conseguirem não quer dizer que é algo impossível, mesmo que seja na base de muito estudo e superação pessoal.

      A palavra tem poder e o resultado virá certamente.

      No caso do cargo de perito, discordo de você porque na minha área só ofereceram 9 vagas de um total de 100 incluindo todas as áreas.

      Ironicamente digo que o que é motivador é saber que meus títulos de mestrado e doutorado que virá não valem nada nesse tipo de concurso, rsrs... O edital é bem específico quanto a isso.

      Resumindo, tem que estudar muuuuuuuuito mesmo Novinha para conseguir uma vaga dessas, mas não é impossível!

      É isso.

      Beijo.

      ;-b

      Excluir
  76. 9% de todas as vagas de perito???
    ou 9% de todas as vagas para todos os cargos da polícia?

    Eu me referia somente às vagas para perito.
    : )

    Vish!!! É possível, sim! Tanto é possível que eu passei... (não para o cargo de perito, mas a concorrência também era muito grande!).

    Penso que pra você que já tá acostumado a estudar, Tipão, será até mais fácil do que pra quem vai iniciar agora! Boto fé.
    : )

    hehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São 100 vagas para o cargo de perito.
      A questão é que há a distribuição das vagas de acordo com a formação:
      ÁREA 1 – 12 vagas;
      ÁREA 2 – 3 vagas;
      ÁREA 3 – 18 vagas;
      ÁREA 4 – 4 vagas;
      ÁREA 5 – 5 vagas;
      ÁREA 6 (Química) – 9 vagas ;
      ÁREA 7 – 19 vagas;
      ÁREA 8 – 4 vagas;
      ÁREA 9 – 10 vagas;
      ÁREA 12 – 2 vagas;
      ÁREA 13 – 1 vaga;
      ÁREA 14 – 5 vagas
      ÁREA 18 – 8 vagas
      Total = 100 vagas.

      Ou seja, sim, são 9% de todas as vagas para perito, rsrs

      Nesses casos, o importante é não pensar em termos de probabilidade, rsrs

      Pensa positivo ai Novinha.

      :-)

      Excluir
  77. Mas então...

    A área 6 só perdeu para as áreas
    1 -
    3 -
    7 -
    9 -

    ganhou de todas as outras 13 áreas restantes!!!
    kkkk

    Logo proporcionalmente é um bom número de vagas para química...
    : )

    ResponderExcluir
  78. Olá anônimo das 00:48

    Achei que você não voltaria mais, que bom que voltou. Eu gosto de trocar ideias com quem pensa diferente de mim.

    Bom, sobre as Papa Mike eu me abstenho de qualquer comentário... o que sei é o que elas me dizem nas operações de rua em que trabalhamos juntas, e elas afirmam que não há diferença, que todo mundo concorre ao mesmo tipo de serviço. Mas eu confesso que não sei de nada sobre a PM.

    Como também não sei em que polícia o senhor trabalha... e não posso falar nada da mulherada daí...

    Agora... Rapaz... eu tô falando...
    É incrível como as coisas mudam de polícia pra polícia, né? Os conceitos, então... o que você tá chamando de operacional a gente aqui chama de "melzinho na chupeta"!

    Sério que pra vocês aí "tirar plantão" é um serviço considerado operacional???

    VOCÊ trabalha no plantão, certo??? Só pode...

    Em algumas unidades policiais que conheço o "plantão 24 horas" é um castigo pra quem não sabe atuar em outras áreas consideradas mais exigentes, que requerem conhecimentos técnicos mais específicos. É claro que não concordo com isso, né? Acho que o serviço de plantão é um serviço policial tão exigente como qualquer outro! Mas aqui, quem trabalha 24 horas tem direito a 72 horas de folga... Tanto é que na minha primeira delegacia, Novinho (que queria folga pra viajar) só poderia concorrer a plantão pra cobrir férias de antigão. É disputadíssimo!!! O plantão da minha antiga delegacia era infelizmente considerado por muitos um reduto de quem não queria nada com nada. Mulher??? Nenhuma! Eu só fui escalada para trabalhar no plantão quando ninguém mais queria: dia 31 de dezembro! Patuvê...

    Campana??? Fala sério... Aqui é onde as meninas são mais requisitadas... Proporcionalmente falando tem mulher demais fazendo campana! Mas você e a sociedade não vêem isso justamente pelo fato de que a presença de um casal não chama tanta atenção quando dois "rambos", né?

    Obrigada por ter voltado, saiba que suas opiniões são muito bem-vindas.

    ResponderExcluir
  79. Anônimo da 1:00.

    Também conheço vários policiais DE AMBOS OS SEXOS que não usam munição na câmara, apesar da Academia insistir tanto nessa tecla. Não sei por que... Eu até achava que era por insegurança, mas depois descobri que esse é o padrão israelense e o padrão das forças armadas em vários países do mundo também.

    : )

    Eu tenho a minha opinião sobre como e quando eu devo usar a minha arma, conheço bem a doutrina que a minha polícia adota e ensina, mas parto do princípio de que cada policial tem que usar seu equipamento da forma como acha melhor. Eu não conheço os argumentos dos israelenses mas não os julgo nem melhores nem piores que eu por terem uma opinião e um modus operandi diferente do meu.

    No mesmo sentido, penso que arma não combina com certas situações e ambientes. Mas eu sou Novinha e não sei de quase nada, mesmo. Por exemplo, não sei como um policial toma banho de mar, ou de piscina armado; não sei como ele poderia sair atrás de um trio elétrico; não sei se ele deveria estar armado enquanto enche a cara na boite... É uma questão de ESTILO DE VIDA de cada um.

    O pouco que sei é que a gente nunca sabe quando vai precisar de usar uma arma na folga, né? Mas também sei tem muito policial perdendo arma nas ruas. Tanto é assim, que tem projeto de lei querendo limitar o uso de arma do policial ao serviço! Culpa de quem usa mal, concorda. Eu acho que não basta portar uma arma, VOCÊ TEM QUE SABER USÁ-LA.

    : )

    Agora, por experiência própria. Um salto alto em determinadas situações é a arma mais eficiente.
    kkkkk

    Um beijo!



    ResponderExcluir
  80. Olá! Voltei. Meio que por acaso, confesso. Aconteceu algo(poderia explicar melhor depois?!) onde me veio à cabeça a situação do delta do RJ, por conseguinte, as discussões no blog...Havia "esquecido" do blog... Algo que não acontecerá novamente, pois, agora, está incluído aos meus favoritos, e o conteúdo publicado será alvo de leitura constante. É, irei virar frequentador assíduo(posso?), ao ponto que pretendo criar uma conta...esse negócio de "anônimo" está me incomodando um pouco.
    Desculpa, mas em nenhum momento fiz relação conceitual direta entre operacionalidade x plantão x mulher x melzinho na chupeta x atribuições...
    Tentando explicar melhor e resumidamente, falei sobre um peso que precisa ser carregado de forma igualitária. Onde eu trabalho tem muita mulher que não quer ajudar a carregar, preferem lixar as unhas enquanto outros o fazem. Que ótimo pra senhora e pra equipe que aí seja diferente(tem vaga aí pra um novinho bom de serviço?). Onde estou não está sendo, por enquanto. Talvez meu chefe tenha conceitos próximos aos da Chefe da PC fluminense.
    Aqui as mulheres correm do plantão, campanas, acho que o grande problema está em quem gerencia, isto é, nos chefes. Tem muita gente ruim de serviço comandando esses cargos.
    O buraco é um tanto mais embaixo, as "coisas" e conceitos mudam de equipe pra equipe dentro da mesma circunscricional, de equipe pra equipe da mesma especializada, dirá de polícia pra polícia.
    Andei perambulando pelo seu blog... Puxa, muita coisa interessante! Espero que continue postando um conteúdo de forma inteligente e realista do dia a dia do servidor policial(mais pela ótica da mulher policial, como faz). Só os sarcasmos do "caput" da matéria e de alguns dos seus comentários que me deixaram um tanto sentido, mas já passou(costumo perdoar fácil rsrs(brincadeira).
    E sobre pensamentos diferentes, normal isso. A gente aprende, retifica ou ratifica conceitos e pensamentos. No final crescemos e aprendemos a lidar melhor com as situações, especialmente as que nos causam algum tipo de desconforto.
    Tudo de bom aí.
    "Inté" breve!

    Att, Anônimo.(provisoriamente)



    ResponderExcluir
  81. Eu sou o próprio, o delegado Pedro Paulo Pontes Pinho. Lamentável que um profissional como eu, após quase 3 décadas prestando serviços a sociedade, sem nenhuma mácula profissional, tenha seu caráter, sua dignidade e sua honra jogadas na lama por um jornalista irresponsável como aquele que distorceu, deliberadamente, toda a sequência de postagens minhas no twitter, quando estava me referindo única e exclusivamente a questão da "vocação profissional", sem qualquer distinção de sexo. Infelizmente somente os últimos 3 tweets da sequência de raciocínio foram divulgados, levando os leitores a acreditarem numa manifestação machista. Como poderia ser machista se fiz questão de destacar que havia uma policial no meu efetivo que nenhum outro homem a superava??? Vocação profissional vale em qualquer atividade laborativa e estamos discutindo uma das mais importantes em todas as sociedades. Nossa sociedade vai de mal a pior, inclusive por conta de pre-julgamentos onde pessoas de bem são linchadas publicamente sem direito a uma defesa com a mesma proporção ao ataque sofrido, como o caso dessa moça efetivamente linchada até a morte pela população, no Guarujá/SP, acusada injustamente de matar crianças para rituais de magia negra por um outro blog, coincidentemente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É?

      Vc não tem uma id, precisa comentar assim anonimamente?

      Excluir

Confissões