sábado, 12 de janeiro de 2013

Constrangimento.

 
Tive que dividir um único alojamento com um outro colega e não tinha outro jeito, além do alojamento ele ainda fez a gentileza de me emprestar a sua própria roupa de cama. Revezamos em turnos madrugada a dentro. Enquanto eu dormia ele ficava atento no escritório e vice-versa.

Antes que o movimento feminista xiita me use como ponte para ideologias, explico que foi uma situação de emergência. Quero ser honesta e dizer que não é normal isso acontecer na minha polícia. Pelo contrário, o pessoal aqui costuma, na medida do possível ser sensível às questões femininas, inclusive no que tange à maternidade. Essa situação ocorreu fora da minha base, onde, inclusive a chefe do serviço é uma delegada, que não deixaria, propositadamente, uma situação dessas ocorrer sob seu comando. Não sou obrigada a aceitar esse tipo de situação, mas também não sou leviana. Claro que eu poderia simplesmente telefonar pra ela e dizer, "Chefe, não tem condições de dormir aqui, então acione o sobreaviso". Contudo, é esse o tipo de atitude que angaria a antipatia dos colegas do sexo masculino, muitas vezes. E 99,99% dos chefes operacionais são homens. Posso estar errada, mas nesse caso específico, sou adepta da política de que a gente pode ceder um pouco aqui pra ganhar mais lá na frente.
 
Pra encerrar essas explicações chatas porém necessárias, cabe ainda ressaltar que no local onde estou lotada, onde trabalho normalmente, existe uma suíte relativamente confortável só pra mim, porque sou a mulherzinha do grupo, enquanto todos os outros  policiais, mais administrativos e outros dividem as instalações reservadas para os homens.
 
Voltando ao pernoite, se serve de consolo, o cansaço é um opióide útil nessas horas, e me fez esquecer rápido das preocupações, inclusive com a de higiene do lençol e da minha própria roupa. Só tirei o calçado pra dormir, o resto era a roupa com a qual passei o dia. A-pa-guei. Tivemos que deixar a porta do quarto destrancada porque não tinha chave e tive que entrar lá quando ele estava dormindo pra usar o banheiro sem fazer barulhinho. Mas o mais constrangedor, mesmo, foi a piada que ouvimos do atendente da companhia aérea que trabalhava próximo, e que veio falar com a gente no dia seguinte, enquanto tomávamos café numa lanchonete ali perto: "Parece que a noitada foi boa, hein, pessoal?". Lembrei-me de ter imaginado a fala do meu pai sabendo de uma coisa dessas "Mas minha filha o que as pessoas vão pensar". Respirei fundo e não respondi, apenas fiz aquela cara de poucos amigos, porque se eu der corda esse idiota vai o quê? Perguntar onde é o final da fila ou gritar "Próximo!"? Mas pra minha sorte, o colega soube responder adequadamente, o que me deixou altamente impressionada. E o indivíduo, após recuperar o fôlego, pediu desculpas pela falta de respeito.

114 comentários:

  1. tá atuando em plantão de aeroporto agora ou vou escalada de última hora?

    ResponderExcluir
  2. Oi Vitão...

    É... mais ou menos isso aí!
    ; )

    Você já deu algum flagrante em aeroporto?
    : )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não... já até rodei algum tempo por lá, mas não deu em nada não... meu negócio aqui é mais pé de chinelo...hehehehe

      Excluir
  3. Que situação hein Novinha!? Chatissimaaa!!
    Mas são ossos do ofício, essas coisinhas volta e meia surgem e são inevitáveis. Acho que vc soube lidar bem com a situação, do contrário acho que ficaria mais chato ainda. Depois dessa com certeza vc chegou em casa e valorizou seus lençóis cheirosos e sua caminha mais do que nunca, né não!? Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Isabella,

    Muito obrigada pelo apoio moral!

    É chato, sim...
    Mas tive sorte por ter um parceiro desses, né?
    : )

    Muito gente fina esse cara!

    ResponderExcluir
  5. [1.0] Situação.: Constrangedora #fato, mas, ainda assim, você soube lidar muito bem, Novinha.


    :)

    [2.0] "Cara de poucos amigos".: Remédio eficaz em determinadas situações. É o chamado "constrangimento revertido"...


    Spartanski

    ResponderExcluir
  6. Inclusive, postura plausível a do seu parceiro.

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  7. É?

    VocÊ teria feito igual?
    ; )

    "Constrangimento revertido"...
    Soa bem!
    : )

    ResponderExcluir
  8. Ele foi um verdadeiro gentleman, na verdade!
    : )

    ResponderExcluir
  9. Status: Muito profissional. Deu o "seu jeito".

    Descrição.: "Sem alarde"¹, objetiva e "missão cumprida".

    Obs.:¹ sinônimo de "dar piti". Situação constrangedora não significa "histeria".

    :)


    #Fato.: Faria igual. Inclusive (lógico!) a parte de "dormir com a roupa do dia".


    O "Constrangimento revertido" é um meio silencioso, de olhar fixo, mas, inerte. Se tiver um extra², melhor ainda.

    Obs.:² uns 2 segundos de silêncio no ar.

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  10. Talvez, mais. Foi além, foi um policial de verdade; gentil mas, sem "superproteção" inadequada. Gentila por gentileza; por profissionalismo.

    ...um gentleman; De certo, alguns tipos de comentários não fazem parte do seu rol apreciativo. O "indivíduo" notou.



    Gosto de pessoas focadas.

    Spartanski

    ResponderExcluir
  11. Obrigada pelos elogios!
    : )

    A sua opinião é importante pra mim, sabia?

    "Dar o seu jeito" - É bom, de vez em quanto, tentar usar a cabeça, né?
    : )

    ResponderExcluir
  12. Não há de que. :)


    Sim. Há sempre uma maneira - quase imperceptível, às vezes - de "mexer" as peças.

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  13. Sabe o que eu gostei de verdade, nele?
    O ar de naturalidade. Ele deve ter notado a minha dificuldade e tentou não dar muita ênfase àquela situação, sabe.

    Nem reclamar de nada, ele reclamou.

    Pra mim, foi melhor assim. Muito melhor.

    ResponderExcluir
  14. Você falou a palavra exata.


    É um achado ter um parceiro assim. "Neutro", digamos. "Te" olha como polícia e ponto. É gentil, educado e, ainda, muito natural.


    Spartanski

    ResponderExcluir
  15. Sabe no que eu estava pensando?

    Essa questão de adaptação do meio à presença das mulheres. Existe. É necessária e tal. Mas o nosso esforço em nos adaptar às exigências do serviço, amiga... é muito... muito maior!

    ResponderExcluir
  16. #Fato. O esforço é muito maior. Mas, a satisfação é proporcional, não acha?


    Que vai doer, vai. Sempre mais. Exijirá sempre mais; paciência, adaptação, "jogo de cintura", etc.



    Ademais, essa naturalidade advém muito também dessa semelhança adaptacional das mulheres ao meio. É uma evolução árdua mas, no final das contas, muito benéfica.

    Spartanski

    ResponderExcluir
  17. Os "contras" que envolvem essa adaptação são inúmeros, parecem, infindáveis, às vezes.

    Spartanski

    ResponderExcluir
  18. hum... texto otimista ou realista?!

    :)

    ResponderExcluir
  19. Esse comentário seu me deixou aqui pensativa, sem saber direito como responder.

    Bem, eu acho que quando a gente quer a gente se adapta, sim...

    Se vale a pena, é que ainda não sei direito. Por enquanto tá valendo, sim, mas a longo prazo já não sei dizer.
    : )

    ResponderExcluir
  20. Ossos do ofício minha amiga .. kk
    E essa cara jamais se ousaria, pois, poderia conhecer a Isabela .. kkk

    ResponderExcluir
  21. Oi Tu,

    Otimista ou realista?
    Parece que tá mais pra realista.
    Humm... não sei. O que te parece?
    : )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. realista, sim; mas, também, um tiquim otimista, né!?
      com oq concordo!

      Excluir
  22. Jordão,

    Esse cara não ousaria.
    Tá certo.
    : )

    ResponderExcluir
  23. Peculiaridades (femininas) que "devem" fundir-se, de algum modo, à outro meio peculiar; o universo policial. Isso é, de todo modo, algo não tão simples.


    Se vale a pena.: Depende do ponto de vista¹, certamente.

    Obs.:¹ e de inúmeros outros fatores - claro.

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  24. rs rs rs

    É que a nossa abordagem do tema tá muito ampla, genérica, lindinha? Meu raciocínio funciona melhor na especialidade.

    : )

    ResponderExcluir
  25. Sim, sim - me atentei a esse detalhe.: o por quê da sua resposta: a especialidade.

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  26. Tu...

    Qual parte te parece otimista?
    : )

    Tô preocupada se alguma coisa tá parecendo exagerado, é isso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrs... nada exagerado! é que o texto me pareceu mesmo realista. gostei. mesmo assim, também pareceu, pra mim, otimista, considerando uma possível igualdade efetiva entre o policial e a policial, respeito e consideração pelas diferenças e tals. é isso! mais tranquila?! vou parar de complicar!! :D

      Excluir
  27. Spartanski,

    Pelo fato de eu não transitar muito bem em questões políticas (questões apaixonadas, essas que mexem muito com o emocional do debatedores) então, vou ficar mesmo só na superficialidade, mesmo. Se você não se importar, é claro.
    : )

    ResponderExcluir
  28. Entendi, Tu...

    Acho que entendi.
    Bom, pra ser bem realista contigo, por parte da Administração, eu nunca percebi nada discriminatório para com as mulheres policiais.

    Agora, por parte de alguns colegas, chefes, do público, às vezes... tem muita discriminação, ainda.

    : )

    Era por aí???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, sim... era por aí, sim. mas, diferentemente, eu acredito que haja discriminação na adm sim, desde o concurso. mas, ainda assim, acredito que, aos poucos, com a própria mulher tendo, cada vez mais, desempenho igual ou melhor do que o homem, tanto física, quanto intelectualmente (oq não é nada extraordinário, mas, natural), esse cenário vai se modificando. o problema é que todos nós, sem exceções, ainda estamos muito ligados ao eufemismo. mas, isso vai mudar... :)

      Excluir
  29. Não estou defendendo nenhum ponto de vista, linda. Curioso que tenha entendido assim (descuido meu).¹ Apenas me coloco a refletir sobre os diversos aspectos que podem existir. Não me limito aos "meus olhares". Não, não. Isso é tão limitador...

    Obs.:¹ quis dar a entender exatamente o contrário: um olhar aberto à todas as possibilidades dos possíveis por quês.


    :)


    Ademais, não, não há problema algum.

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  30. Mas foi isso mesmo que entendi.
    rs rs rs

    Eu tava tentando justificar a minha demora em entender e até a responder ao teu comentário.

    Na verdade, como estávamos fazendo comentários amplos e genéricos, eu até quis dar exemplos (passar para a especificidade) mas depois pensei que os exemplos podem dar muita margem pra discussões que não nos vão levar a nada... então deixei como está.

    : )

    ResponderExcluir
  31. Que bom que você entendeu.

    :)


    Obs.: O meu último comentário não esperava uma resposta, exatamente por isso; é amplo, e o "específico", é muito "pano pra manga". Realmente preferível deixar como está.

    :)


    Gosto muito da maneira como conta as suas experiências. Ótimo post, Novinha!

    Spartanski

    ResponderExcluir
  32. Spartanski,

    Obrigada, que bom que gosta do jeito como conto as minhas experiências.

    Não acha que seja um pouco otimista ou eufemista demais?
    : )

    ResponderExcluir
  33. Não entendo assim; pouco otimista ou eufemista demais.


    De certo, os seus escritos dizem muito sobre o seu jeito particular de ver o mundo. No entanto, essa maneira de expor esse universo (policial), não nos prende unicamente ao seu pensamento.¹

    Obs.:¹ Porque? Resp.: Porque você não é determinista. Você expõe suas percepções sem qualquer pretensão "política". E, ao meu ver, isso é muito bom. É realmente muito agradável caminhar livre pelas suas ideias, colher percepções próprias (percepções "de leitor") e, ainda assim, manter-nos cientes do plano de realidade - exposto para cada situação citada por você.

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  34. Que legal!

    Fico feliz que tenha essa percepção. A idéia que "tento" passar é essa mesma. Simples assim.

    : )

    ResponderExcluir
  35. "A idéia que "tento" passar é essa mesma."



    ...e consegue.

    Simples assim.

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  36. Não é bem assim, lindinha, é difícil e noto que tenho sérias deficiências. Você é que é paciente e compreensiva demais.

    : )

    ResponderExcluir
  37. Mas afinal? O que o colega falou pra tirar o outro de tempo??? Atiçou minha curiosidade horrores.

    ResponderExcluir
  38. Oi, Novinha.

    Olha, confesso que também fiquei surpresa com a reação dele. Acho que já leio os textos esperando uma atitude machista e/ou arrogante com você. Gostei desse seu colega.

    ResponderExcluir
  39. Oi Silvinha,

    Seja bem-vinda!

    Não foi nem o que ele falou em si o que me chamou a atenção, foi como ele falou.

    Em síntese, pagou-lhe um senhor sapo com luvas de pelica, fazendo o cara pensar em sua atitude desrespeitosa. Basicamente isso.

    ; )

    Muito obrigada pela visita!

    Um beijo!




    ResponderExcluir
  40. Oi Paloma!

    Olha, te juro que não esperava essa reação de um colega. Foi uma grata surpresa!

    Tá aí... outro preconceito nosso: achar que todos os homens são iguais.

    ; )

    ResponderExcluir
  41. Não deu nem uma tortuguita ao rapaz para agradecer o feito épico ? (:

    ResponderExcluir
  42. "Tortuguita"?!

    kkkkkkkkkkk

    Quêquéisso???

    : )

    ResponderExcluir
  43. https://encrypted-tbn1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRFERDYBZb6dNHTrdc_1Z3fWyHiQGZxBT46Wef0kiXPTHjdHvzxzw

    Infância que é bom você não teve, né ?

    kkkkkkkkkkkkkkk

    :D

    ResponderExcluir
  44. Ahhh, claro!!!

    É essa tortuguita?
    kkkkkkkkkkkkkk

    Ele bem que merecia, mannns...
    "foi tuto tão rapito"

    : D

    Sinto-me devendo.
    : )

    ResponderExcluir
  45. Então, deixe uma tortuguita na bolsa quando for pra uma missão dessas de novo, vai que surge outro colega legal assim.

    rsrs

    ResponderExcluir
  46. Já sei o que vou dar a vc quando te encontrar por aí...

    Uma tortuguita gelatina, uma tortuguita skate, uma tortuguita ao leite com brigadeiro e uma tortuguita de chocolate ao leite com baunilha...

    : D

    ResponderExcluir
  47. Nossa, eu vou ficar tão feliz! *-*

    Mas imagina isso: uma policial dando tortuguitas para uma garota que não sabe se come os chocolates ou abraça a policial.

    Seria uma cena curiosa, não ? rs

    ResponderExcluir
  48. Olha, olha...

    Eu vou cobrar esse abraço, hein???

    : )

    kkkkkkk

    Imagino a sua cara, quando alguma louca na rua te oferecer tortuguitas... "será que é ela"???

    kkkkkkkkkkk

    ; )

    ResponderExcluir
  49. Lógico que eu vou saber que é você, ou acha mesmo que a humanidade divide tortuguitas com estranhos ?

    Eu, por exemplo, nem com os meus amigos divido.

    kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  50. É???

    ahhh, queridinha jamais subestime a minha capacidade de me disfarçar...

    kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  51. Ta aí uma coisa que nunca faria: subestimar seu talento ninja.

    kkkkkkkkkkk

    :D

    ResponderExcluir
  52. kkkkkkk

    Ahhh, deixa eu te falar...

    Lembra do livro que te indiquei "Filosofando"?
    Naquele capítulo que você citou sobre o trabalho, não sei se você notou mas quando a autora fala da alienação na produção ela cita uns conceitos em voga na época de Marx que pra mim dá um sentido bem mais amplo a certas palavras que pra gente hoje tem outro significado.

    Depois vê lá na página 70 o conceito de alienação, fetichismo e reificação. Cara... muito interessante!

    : )

    ResponderExcluir
  53. Sobre o trabalho, sim. Foi até mais ou menos como fiz na redação que comentei com você, da forma como o trabalho e seu significado evoluiu.

    Eu tô lendo tudo fora da ordem, rsrs. Vou ler a página 70, e depois comento aqui pra você. (:

    ResponderExcluir
  54. Nossa, ali tem argumento pra você defender qualquer que seja a sua ideia sobre trabalho, né?

    Eu acho muito show aquele livro.

    Mas tudo bem, aguardo.
    : )

    Mas um dia ainda vou usar esses conceitos aqui no blog, você vai ver!
    : )

    ResponderExcluir
  55. Também gostei muito. Principalmente da linguagem normal para pessoas normais que o livro tem. :D

    Vou esperar, e te dar uma caixa de tortuguitas de prêmio. :D

    ResponderExcluir
  56. kkkk

    Tá bom!
    : )

    Alguma novidade sobre os vestibulares da vida?

    ResponderExcluir
  57. Minha colocação tá muito longe, uma reclassificação não é impossível, já vi acontecer. Mas prefiro colocar os pés no chão e estudar tudo de novo.

    Então, vou estudar pro próximo enquanto me inscrevo nas outras chamadas. Só pode acontecer duas coisas, né.

    ResponderExcluir
  58. Também, principalmente UFF e UNIRIO. Mas pra onde der, eu vou. (:

    Deixei na lista de espera da UFRRJ (rural), porque minha colocação está melhor. Mas a UFF e a UFRJ abrem mais vagas depois.

    Noites sem dormir pra decidir isso. Exagero, eu sei.

    ResponderExcluir
  59. São tudo uma prova só. A gente faz o ENEM, e depois usa a nota no SISU, que é o site que faz a classificação.

    Mas isso tudo pode mudar a qualquer momento, todo ano uma faculdade sai do ENEM, outra entra, outra só usa como primeira fase. A gente que tem que se virar quando acontece.

    Esse ano, por exemplo, a UFF teria uma prova de segunda fase. Fiz umas 10 provas (cada uma com 25 questões de quatro alternativas discursivas - que tornam a prova uma passagem para outras dimensões da minha mente) e no meio do ano a reitoria anunciou que não teria mais a prova.

    Não sei se isso é normal em outros concursos, mas me faz odiar o vestibular cada vez mais.

    ResponderExcluir
  60. Nossa!

    Que zona isso, hein?

    Tá, mas existe a possibilidade de você conseguir uma vaga por estes meios, também, né?

    ResponderExcluir
  61. Se a faculdade tiver a boa vontade de abrir vagas suficientes pra eu entrar no comboio, sim.

    Muita gente entra assim, na verdade. Mas acho que sou pessimista demais pra me dar o luxo de esperar a vaga aparecer sem me preparar para outra prova.

    ResponderExcluir
  62. Hummmm

    Bom...

    Qualquer novidade me avisa...
    : )

    ResponderExcluir
  63. Chefinhaaaaaaaaaaaaaa vortei! Temporada complicada ano passado ta...resenha pra mais de metro. Enfim, tamo ai.

    Ó...posso falar?? Da nada pra nós chefinha. Ta certo que não é o ideal, mas ahhh...francamente, nem ligo!

    Saudade de vc!

    ResponderExcluir
  64. Marapááááá...

    Tô aqui pensando em colocar a Guarda Nacional atrás de vossa senhoria...

    Minha filha!!! Coméquecêsomedessejeito!!!

    Quero saber o nome dele.
    Humpf!!!

    ResponderExcluir
  65. mas oquêqueissoaqui? gente, um post todinho aqui quase cheio...barbaridade!

    haahahahaha

    são ossos do ofício né, Madrinha! tb nao me importaria com as condições, mesmo pq lá na fronteira a coisa nao deve ser tão boa..

    tamoaípraisso!

    bjo no seu coração

    ResponderExcluir
  66. Hahaha o nome dele é Trabalho + MBA + Centro Espírita + campo - tempo kkkkkk. Combinação explosiva gata...te falo que eu quase fui a nocaute, mas já to devorta.

    E tu??

    ResponderExcluir
  67. Pior de tudo são as piadinhas mesmo...

    ResponderExcluir
  68. Re!!!

    Quase passou batido esse post, amiga?

    É, né?

    Mas quem vai se importar é o seu namorado, seu pai, sua mãe...
    : )

    Pergunta...
    : )

    ResponderExcluir
  69. Mari,

    E eu pensando que você tinha ido para o Alaska pra ter um pouco de paz pra se dedicar exclusivamente aos estudos...

    : )

    ResponderExcluir
  70. Que isso, Bibi! Tu sabe que eu nunca deixaria isso acontecer..passar batido... Onde já "civil" falar uma barbaridade dessa...

    Tem razão, mta gente ia achar ruim

    :-(

    ResponderExcluir
  71. Ué, amiga, linda...

    Pode acontecer...
    : )

    Mas que eu fiquei preocupada, isso é verdade...

    : )

    Agora não tô mais...

    ResponderExcluir
  72. Me perdoa, Biga! É que eu tenho uma missão muito importante. Não vai acontecer de novo, QSL?

    ResponderExcluir
  73. Amiga linda...

    Não foi uma cobrança, tá?
    É só pra que você tenha certeza de que me preocupo com você.

    Você é importante demais pra mim, sabia?

    ResponderExcluir
  74. Sim, Bibiga, eu entendi, vc tb é pra mim...ah vc sabe..

    ;-)

    Vc viu que foi autorizado novo concurso da PF?

    aí eu piro!

    ResponderExcluir
  75. Sem duvida, todos ficamos curiosos sobre a resposta do colega. Afinal, do que gostamos mesmo é de ATITUDE.

    Rsrsrs!!!

    Quanto a minha filha, eu não digo "o que os outros vão pensar'...? Eu, penso... Mas, não me meto; pergunto a ela:
    Tá namorando? Tá ficando?
    A mocinha é cabeça..., e, além do mais, quem tem que se preocupar é ela. Rsrs!!

    Abraços com saudades e amizade.

    ResponderExcluir
  76. O meu pai é bemmmm diferente, Sylvão...
    Você não é nada ciumento, né?

    rs rs rs

    Que idade sua filha tem?
    : )

    ResponderExcluir
  77. Boas tardes, querida.

    Sou ciumento sim, mas como é um sentimento que aguilhoa, que fere, afasto-o de mim; fujo dele como o diabo da cruz.
    como faço isso? Simples: vendo a situação como um todo; entendendo que cada pessoa pode amar todo mundo, e a cada uma de um jeito próprio.
    Tanto é verdade que ninguém está livre de gostar de alguém, ou, de sentir uma atração, uma paixão...
    Por isso, o importante é ter consciência de Quem você escolhe para gostar, amar, ficar. Pois tudo na vida é uma escolha de saber Quem Você É, e como viverá a experiência de estar com alguém determinado. Por isso também não vale a pena considerar que um alguém será seu por toda a eternidade pois você muda a cada momento (assim como o Universo), e a pessoas também.

    Muito complicado?

    Minha filha fez 22 este mês. Adora rave, já viu né... Tem uma filhinha de 5 anos, de certa forma foi uma produção independente.
    https://www.facebook.com/camila.candiani?fref=ts
    (Pode postar, my life is a opened book. Rsrs!)


    Bjs! Bom final de semana pra tu.

    ResponderExcluir
  78. Povo lindo esse seu, Sylvão!

    Parabéns.

    Não. Não é complicado.
    Só é difícil, né?
    : )

    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algumas coisas que para você são fáceis, para mim não serão...

      Eu que te agradeço!

      Excluir
  79. Olá, Novinha!! Como vc está? Saudades daqui... Então venho com novidades, consegui passar na 1ª etapa(obj + sub) do certame da PC/MA, lembra q te falei da redação? kkk Menina eu fiz 95/100 pts!! kkk nem acreditei qdo vi, eu estava muito tensa pq como te contei fui radical na redação com relação a imagem da polícia!! Mas graças a Deus deu certo, e agora estou na luta treinando para o TAF, estou muito feliz e esperançosa, como já te disse preciso muito dessa vaga. Mas continuo estudando firme, a luta não para. Um feliz 2013 novinha, muita saúde, amor, paz e tranquilidade p vc! Bjokas

    ResponderExcluir
  80. Caracas!!!

    Pra que cargo???

    Eu te disse que você tava se preocupando à toa, não disse! Ainda disse que era o tipo de redação crítica do jeito que algumas bancas gostam!!!

    kkkkkkkkkk

    Parabéns, garota!!!

    Me mantenha informada, tá?
    : )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi p escrivão!! Vc estava certa mesmo...Ainda bem q ficou td bem!! Podexá q logo, logo eu volto com mais novidades!!
      Bjokinhas!!!
      :)

      Excluir
    2. Sucesso nas demais etapas, DoceAcida!

      Bjs.

      :)

      Spartanski

      Excluir
  81. Legal demais!!!

    Agora vem a prova física ou prática?

    ResponderExcluir
  82. Domingo dia 27/01 é a prova pratica de digitação, amanhã estou embarcando para São Luiz do MA, a ilha do amor! Me deseja sorte novinha!! :)
    Spartanski qdo eu crescer vou ser igual a vc, ou melhor, escrever igual a vc!! :) Obgda flor!
    Bjokinhas meninas!! :*

    ResponderExcluir
  83. É amanhã!!!!

    Calma, calma, calma...
    Respira...
    Vai (de mansinho) PRA CIMA DELES!!!
    KKKK

    Vai dar tudo certo, você vai ver!
    Se Deus quiser!!!
    : )

    Beijo!!!

    ResponderExcluir
  84. São seus olhos! Agradeço a amabilidade. :)


    Boa sorte! "Vai dar tudo certo, você vai ver!" [2]


    Bjs, linda!

    :)

    Spartanski

    ResponderExcluir
  85. Parabéns pelo blog. Estou aguardando minha nomeação, pois fiz A _ _ na condição sub judice. Logo, tenho que aguardar a justiça me dar a posse. Acho que me identificarei com várias situações narradas aqui no blog. rsss. Um abraço.

    ResponderExcluir
  86. É isso aí.Sua atitude demostrou seu profissionalismo acima de tudo.
    Parabéns!!

    ResponderExcluir
  87. Olá J Araújo!

    Obrigada!

    Hoje, olhando pra trás eu penso que foi mesmo a melhor atidude, né? Tem coisa que se a gente for dar muita ênfase é pior.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  88. Olá Anônimo sub-judice!

    Sub-judice de qual polícia?

    : )

    ResponderExcluir
  89. Fiz sim, bibi, mas vc viu q foi cancelada?

    ResponderExcluir
  90. Pois é...

    Fiquei sabendo.
    O que você achou disso?

    ResponderExcluir
  91. muita falta de respeito com quem estuda dia-a-dia, com que teve despesas com viagens e vamos falar, o camarada que compra um gabarito desse nao merece entrar nem na policia e nem em lugar nenhum!

    sou a favor da anulação se realmente houve fraude. Quem tinha passado, passa de novo. Eu saí bem, mas nao vou fazer de novo, pois tinha sido só teste... (oficial da PM)

    agora o de delegado é continuar estudando e fazer a prova, se der bem, senao nao der, bom tb, o importante é nao desistir.

    ;)

    e rumo a PF!

    ResponderExcluir
  92. E se você passar pra Delegado de Goiás?
    : )

    ResponderExcluir
  93. Antes da pf? Bom ae tem que assumir ne!

    B-)

    ResponderExcluir
  94. Daí você vai fazer o curso de formação e então abandona o da Federal?

    : )

    ResponderExcluir
  95. Abandonar nao, nunca! Pra sempre PF!

    ResponderExcluir
  96. Ja vi muitos delegados civis virarem delta fox

    ResponderExcluir
  97. Dae nao tem nem o quê pensar...pra sempre PF!

    ResponderExcluir

Confissões